sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Pintado. Um novo Macuglia? Pero no mucho...

Foto Macuglia: Reprodução
Foto Pintado: Marco Dutra

O que foi mais aparente no trabalho do técnico Guilherme Macuglia em sua passagem pelo Figueirense?
Para mim, foi a falta de comando!
Era um cara simples, de fala mansa, humilde, até não demonstrava âmbição...
Sinceramente não sei o que o Figueirense queria com esse cara quando o contratou, já que nunca teve um histórico vitorioso para comandar um time de série A... (apenas um "susto", no campeonato paulista com o Guaratingueta)
No presente, o técnico Pintado, me lembra Macuglia só que com um tipo de personalidade diferente, sendo mais motivador e só... Eu que sento ali atrás do banco alvinegro, vejo sempre a atuação dos técnicos, lógico, não devemos julga-los pelos seus teatros ou berros, mas hoje se vê um técnico completamente perdido, sem comando, sem o time nas mãos... Berra, grita, esbraveja, da socos, chutes no ar, é um show a parte, mas isso não faz dele um cara que mostra ter capacidade de modificar um time em campo, da mesma forma que Macuglia, só que com seu jeito humilde de ser, também não conseguia alterar nada em campo, era um time apatíco, 11 caras "colocados em campo"... Pintado deixa seus jogadores mais tensos ainda com seus esbravejos e seu modo "jesticular" de ser, só da esporro, só briga, não incentiva, não reposiciona os caras, enfim não tem LEITURA DO JOGO.
Esperei até o jogo de hoje para fazer uma crítica realmente com mais embasamento para ver se realmente o problema era "técnico", já que sou daqueles que acho onde é necessário tempo para se desenvolver um trabalho, ainda mais numa nova fase, com jogadores novos, de menor qualidade técnica e menor nível de investimento, com tão pouco tempo, como é o ínicio de temporada... Mas após ver o tal "time base" formado desde o jogo com o Marcilio em Itajaí, hoje percebo que realmente não existe uma disposição tática, não tem uma jogada, nem pelas laterais, não chuta de longa, média ou "mínima" distância, os jogadores não escostam uns aos outros para fazer uma jogada ou pelo menos ajudar a dar uma opção de passe ou over laping, a chamada passagem na lateral, nada, nada, nada! Não tem uma jogada se quer, é bizarro, os jogadores não fecham o meio de campo na volta e sobrecarregam o setor defensivo, os laterais são mediocres, são apagados, paracem não jogar para tambem não se queimar... Mas tambem ressalto que não há jogadores que "batam no peito e digam: joga em mim que resolvo", um cara que chegou para isso mas que não durou mais do que duas semanas foi Pedrinho, mostrou qualidade, mas que seu físico não o ajuda... Falando em bater no peito, alguem pode não concordar, mas ano passado, um cara que fazia isso era o Marquinho, semmpre pedia bola abria os braços, chamava a jogada, até no ano anterior, o Ruy cabeção, hoje no Grêmio, tambem fazia isso e ai se não passase a bola pra ele, saia pagando geral pra galera... O time todo é apatíco, sem personalidade, será que os mesmos são "tão assim", ou tem algo por trás que não os deixa jogar? Ou são limitados mesmo e coitados, estão no time errado e por sua limitação técnica não rende o que o um time desse porte necessita sem terem culpa por serem assim fracos, já que há jogadores em diversos níveis técnicos para diferentes agremiações e até divisões de campeonatos?
Com a palavra a diretoria, que os contratou...

Um comentário:

jbmartins disse...

Marco é isto tudo, quando não tem comando acontece isto, e seria uma infelicidade muito grande, o Figueira consegui reuninir em uma temporada um numero de jogadore com tão limitado a capacidade de jogar, acredito que o Pintado não esta conseguindo fazer a Maquina funcionar. Fora Pintado basta.